Fundada em 1970, a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp) é o braço paulista da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), entidades que atuam pautadas na Lei Federal 5.764/71 e, na esfera estadual, de acordo com a Lei 12.226/2006.

A Ocesp é uma entidade de representação do cooperativismo no estado de São Paulo, voltada para o fomento, acesso, orientação, capacitação e defesa dos interesses das cooperativas nos seus respectivos segmentos.

Além de Órgão Técnico Consultivo do Governo, a Ocesp, como representante legal das cooperativas paulistas, desenvolve um sólido trabalho junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

HISTÓRIA

Há 50 anos, construindo um cooperativismo cada vez mais forte.

Há 50 anos, nascia a Organização das Cooperativas do estado de São Paulo, a nossa Ocesp. Sua assembleia de constituição ocorreu no dia 14 de outubro de 1970. Foi criada por um único propósito: fortalecer a representação das cooperativas e, assim, criar condições para o desenvolvimento e expansão do cooperativismo no estado.

Influentes lideranças transitavam no cooperativismo paulista, com destaque para o então secretário de Agricultura, Antônio José Rodrigues Filho. Foi ele quem assumiu a incumbência de acalmar os ânimos dos dirigentes e selar a harmonia no cooperativismo.

A pacificação das correntes cooperativistas em São Paulo, materializada pela fundação da Ocesp, foi fundamental para a formação do Sistema Cooperativista no Brasil, encabeçado pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o que propiciou, logo em 1971, a promulgação da Lei Nacional do Cooperativismo (5.764). Este foi o princípio de uma organização que, em nome do cooperativismo, conquistou espaços estratégicos na relação com governos, parlamentos e entidades representativas de diversos setores da economia. Conduzida por hábeis lideranças, a Ocesp consolidou-se e passou a ser ouvida e respeitada pelas autoridades, mantendo o cooperativismo na pauta dos poderes públicos.

Conquistas

Nestes 50 anos, importantes avanços para as cooperativas foram conseguidos no estado e no país com a atuação da Ocesp, sempre alinhada às estratégias da OCB. Uma das mais relevantes conquistas ocorreu em 1998: a criação do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, o Sescoop, instrumento que tem se mostrado cada vez mais necessário para a formação de profissionais e para melhorar a gestão, os negócios e os resultados das cooperativas.

Cooperativismo é a matéria-prima da Ocesp, com a qual tem feito o chamado “lobby do bem”, convencendo autoridades da importância das cooperativas para um crescimento econômico sustentável, que diminui as diferenças de classes e promove justiça social. A Ocesp orienta políticos das Frentes Parlamentares do Cooperativismo na Assembleia Legislativa do estado e no Congresso Nacional, no intuito de defender os legítimos anseios das cooperativas.

Dessa interlocução com os poderes públicos, muitas vitórias para o cooperativismo foram dignas de celebração. Avanços que abriram novos caminhos para o desenvolvimento das cooperativas. Um exemplo é a Política Estadual do Cooperativismo, cuja lei (12.226) foi promulgada em 2006. As leis especiais dos ramos crédito e trabalho, que regulamentaram e imprimiram mais segurança jurídica às atividades; o novo Código Florestal, que conciliou produção agropecuária e preservação ambiental; entre tantas outras realizações para os diferentes ramos cooperativistas.

Atividades estratégicas

A Ocesp também ocupa assento em muitos órgãos estratégicos para os negócios cooperativistas. Um dos mais significativos é a Junta Comercial, onde mantém uma cadeira de Vogal e faz um trabalho diferenciado. Orienta, analisa e encaminha à Junta os processos de arquivamento das cooperativas, tem resolvido pendências específicas e conseguido manter preços mais baixos para os serviços da Junta ao setor cooperativista. Agilidade e economia para as cooperativas.

Guardiã dos princípios cooperativistas no estado de São Paulo, a Ocesp tem zelado pela imagem do cooperativismo nas orientações gerais, no processo de registro de novas cooperativas, na divulgação de boas práticas. Também, quando razoável e necessário, tem defendido na Justiça os direitos de nossas cooperativas. Hoje, a Ocesp representa 1.026 cooperativas, que reúnem mais de 3 milhões de cooperados em setores como agropecuário, crédito, consumo, educação, energia, habitação, produção de bens, reciclagem, saúde, serviços, transporte e outros.

Missão

Promover um ambiente favorável para o desenvolvimento das cooperativas paulistas, por meio da representação político-institucional.

Visão

Em 2025, o cooperativismo será reconhecido pela sociedade por sua competitividade, integridade e capacidade de promover a felicidade dos cooperados.

ATUAÇÃO DA OCESP

Registro

A Ocesp é responsável pelo cadastro e registro das cooperativas paulistas junto à Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Defesas nos âmbitos administrativo e judiciário

Dentre suas prerrogativas legais, a Ocesp tem também a defesa dos interesses das cooperativas.
No âmbito judicial, atua coletivamente contra práticas ilegais e que implicam, em prejuízo, a sustentabilidade do negócio da cooperativa.

No âmbito administrativo, media pleitos das cooperativas junto às secretarias, autarquias, agências reguladoras e entidades privadas que prestam serviços públicos, difundindo o modelo cooperativista e suas peculiaridades.

Representação político-institucional

A Ocesp defende os interesses do cooperativismo paulista frente aos Poderes Legislativo e Executivo nas três esferas da federação, seja no âmbito municipal, estadual ou federal.

Na esfera federal, atua em consonância com a OCB, acompanhando temas importantes para o cooperativismo junto ao Congresso Nacional, presidência, ministérios, Banco Central e agências reguladoras, ao definirem normas e regras que afetam diretamente as atividades das cooperativas. Já no âmbito estadual e municipal, atua junto à Assembleia Legislativa de São Paulo, câmaras municipais, governos e secretarias estaduais e municipais.

Esse processo vai desde o monitoramento dos temas que estão sendo discutidos e elaboração de estratégias até a efetiva atuação com os tomadores de decisão. Com base na escuta ativa das demandas das cooperativas e no legítimo diálogo com as autoridades públicas, o trabalho é calcado sempre na boa informação e no bem comum da sociedade na qual a cooperativa está inserida.

A Ocesp acredita que a relação com os membros dos três Poderes tem de ser sempre estimulada, pois, no Brasil, o modelo de negócio cooperativo ainda é pouco conhecido. Esse diálogo franco e aberto auxilia as autoridades a terem mais conhecimento desse modelo e da sua importância para um desenvolvimento mais equilibrado das diversas regiões de São Paulo e do Brasil.

CONSELHOS

Conselho Diretor

Presidente
Edivaldo Del Grande

Conselho Diretor
Agropecuário – Marcelo Barbosa Avelar
Consumo – Márcio Francisco Blanco do Valle
Crédito – João Carlos Gonçalves Bibbo
Educacional – Dejair Besson
Habitacional – Marcos Antônio Alves Jorge
Infraestrutura – Henrique Ribaldo Filho
Produção – Vanildo Cesar Biasotto
Saúde – José Alves de Souza Neto
Trabalho – Rogério Antônio Azevedo
Transporte – Murilo Karapetcov Silva

Conselho Fiscal

Arnaldo Antônio Bortoletto
Claudino Guerra Zenaide
Edson Valmir Fadel

Suplentes
André Domingos Pippa Tomazella
José Antônio de Souza Rossato Junior

Superintendência
Aramis Moutinho Junior
Flavio Bersani de Freitas

CADASTRE-SE E FIQUE SABENDO OS PRINCIPAIS DESTAQUES DO COOPERATIVISMO
QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES DO COOPERATIVISMO?

Compartilhe seu e-mail aqui e receba gratuitamente informações importantes e atualizadas sobre o movimento.
Nós utilizamos cookies (e/ou tecnologia de rastreamento de dados) para saber como você interage com nosso Portal. Usamos esta informação para melhorar sua experiência e para metrificar visitantes. Para entender mais sobre o que utilizamos, veja nossas Políticas de Privacidade de Dados: Política de Privacidade e Política de Cookies.
ACEITAR