Fundada em 1970, a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp) é o braço paulista da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), entidades que atuam pautadas na Lei Federal 5.764/71 e, na esfera estadual, de acordo com a Lei 12.226/2006.

A Ocesp é uma entidade de representação do cooperativismo no estado de São Paulo, voltada para o fomento, acesso, orientação, capacitação e defesa dos interesses das cooperativas nos seus respectivos segmentos.

Além de Órgão Técnico Consultivo do Governo, a Ocesp, como representante legal das cooperativas paulistas, desenvolve um sólido trabalho junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

HISTÓRIA

Há 50 anos, construindo um cooperativismo cada vez mais forte.

Há 50 anos, nascia a Organização das Cooperativas do estado de São Paulo, a nossa Ocesp. Sua assembleia de constituição ocorreu no dia 14 de outubro de 1970. Foi criada por um único propósito: fortalecer a representação das cooperativas e, assim, criar condições para o desenvolvimento e expansão do cooperativismo no estado.

Influentes lideranças transitavam no cooperativismo paulista, com destaque para o então secretário de Agricultura, Antônio José Rodrigues Filho. Foi ele quem assumiu a incumbência de acalmar os ânimos dos dirigentes e selar a harmonia no cooperativismo.

A pacificação das correntes cooperativistas em São Paulo, materializada pela fundação da Ocesp, foi fundamental para a formação do Sistema Cooperativista no Brasil, encabeçado pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o que propiciou, logo em 1971, a promulgação da Lei Nacional do Cooperativismo (5.764). Este foi o princípio de uma organização que, em nome do cooperativismo, conquistou espaços estratégicos na relação com governos, parlamentos e entidades representativas de diversos setores da economia. Conduzida por hábeis lideranças, a Ocesp consolidou-se e passou a ser ouvida e respeitada pelas autoridades, mantendo o cooperativismo na pauta dos poderes públicos.

Conquistas

Nestes 50 anos, importantes avanços para as cooperativas foram conseguidos no estado e no país com a atuação da Ocesp, sempre alinhada às estratégias da OCB. Uma das mais relevantes conquistas ocorreu em 1998: a criação do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, o Sescoop, instrumento que tem se mostrado cada vez mais necessário para a formação de profissionais e para melhorar a gestão, os negócios e os resultados das cooperativas.

Cooperativismo é a matéria-prima da Ocesp, com a qual tem feito o chamado “lobby do bem”, convencendo autoridades da importância das cooperativas para um crescimento econômico sustentável, que diminui as diferenças de classes e promove justiça social. A Ocesp orienta políticos das Frentes Parlamentares do Cooperativismo na Assembleia Legislativa do estado e no Congresso Nacional, no intuito de defender os legítimos anseios das cooperativas.

Dessa interlocução com os poderes públicos, muitas vitórias para o cooperativismo foram dignas de celebração. Avanços que abriram novos caminhos para o desenvolvimento das cooperativas. Um exemplo é a Política Estadual do Cooperativismo, cuja lei (12.226) foi promulgada em 2006. As leis especiais dos ramos crédito e trabalho, que regulamentaram e imprimiram mais segurança jurídica às atividades; o novo Código Florestal, que conciliou produção agropecuária e preservação ambiental; entre tantas outras realizações para os diferentes ramos cooperativistas.

Atividades estratégicas

A Ocesp também ocupa assento em muitos órgãos estratégicos para os negócios cooperativistas. Um dos mais significativos é a Junta Comercial, onde mantém uma cadeira de Vogal e faz um trabalho diferenciado. Orienta, analisa e encaminha à Junta os processos de arquivamento das cooperativas, tem resolvido pendências específicas e conseguido manter preços mais baixos para os serviços da Junta ao setor cooperativista. Agilidade e economia para as cooperativas.

Guardiã dos princípios cooperativistas no estado de São Paulo, a Ocesp tem zelado pela imagem do cooperativismo nas orientações gerais, no processo de registro de novas cooperativas, na divulgação de boas práticas. Também, quando razoável e necessário, tem defendido na Justiça os direitos de nossas cooperativas. Hoje, a Ocesp representa 1.026 cooperativas, que reúnem mais de 3 milhões de cooperados em setores como agropecuário, crédito, consumo, educação, energia, habitação, produção de bens, reciclagem, saúde, serviços, transporte e outros.

Missão

Promover um ambiente favorável para o desenvolvimento das cooperativas paulistas, por meio da representação político-institucional.

Visão

Em 2025, o cooperativismo será reconhecido pela sociedade por sua competitividade, integridade e capacidade de promover a felicidade dos cooperados.

ATUAÇÃO DA OCESP

Registro

A Ocesp é responsável pelo cadastro e registro das cooperativas paulistas junto à Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Defesas nos âmbitos administrativo e judiciário

Dentre suas prerrogativas legais, a Ocesp tem também a defesa dos interesses das cooperativas.
No âmbito judicial, atua coletivamente contra práticas ilegais e que implicam, em prejuízo, a sustentabilidade do negócio da cooperativa.

No âmbito administrativo, media pleitos das cooperativas junto às secretarias, autarquias, agências reguladoras e entidades privadas que prestam serviços públicos, difundindo o modelo cooperativista e suas peculiaridades.

Representação político-institucional

A Ocesp defende os interesses do cooperativismo paulista frente aos Poderes Legislativo e Executivo nas três esferas da federação, seja no âmbito municipal, estadual ou federal.

Na esfera federal, atua em consonância com a OCB, acompanhando temas importantes para o cooperativismo junto ao Congresso Nacional, presidência, ministérios, Banco Central e agências reguladoras, ao definirem normas e regras que afetam diretamente as atividades das cooperativas. Já no âmbito estadual e municipal, atua junto à Assembleia Legislativa de São Paulo, câmaras municipais, governos e secretarias estaduais e municipais.

Esse processo vai desde o monitoramento dos temas que estão sendo discutidos e elaboração de estratégias até a efetiva atuação com os tomadores de decisão. Com base na escuta ativa das demandas das cooperativas e no legítimo diálogo com as autoridades públicas, o trabalho é calcado sempre na boa informação e no bem comum da sociedade na qual a cooperativa está inserida.

A Ocesp acredita que a relação com os membros dos três Poderes tem de ser sempre estimulada, pois, no Brasil, o modelo de negócio cooperativo ainda é pouco conhecido. Esse diálogo franco e aberto auxilia as autoridades a terem mais conhecimento desse modelo e da sua importância para um desenvolvimento mais equilibrado das diversas regiões de São Paulo e do Brasil.

CONSELHOS

Presidente
Edivaldo Del Grande

SUPERINTENDÊNCIA
Aramis Moutinho Junior
Flavio Bersani de Freitas

Conselho Diretor OCESP
Marcelo Barbosa Avelar - Agropecuário
Joao Alberto Salvi - Crédito
Eduardo Ernesto Chinaglia - Saúde
Elias Gomes Assêncio - Transporte
Rogério Antônio Azevedo - Trabalho, Produção de Bens e Serviços
José Geraldo Fogolin - Consumo
Henrique Ribaldo Filho – Infraestrutura

Conselho Fiscal OCESP


EFETIVOS

José Alves de Souza Neto
Carlos Yoshiyuki Sato
Claudino Guerra Zenaide

SUPLENTES
Laércio de Oliveira Filho
Edmir Deberaldini
Roberto Antonio Gobbo

CADASTRE-SE E FIQUE SABENDO OS PRINCIPAIS DESTAQUES DO COOPERATIVISMO
QUER FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES DO COOPERATIVISMO?

Compartilhe seu e-mail aqui e receba gratuitamente informações importantes e atualizadas sobre o movimento.
Nós utilizamos cookies (e/ou tecnologia de rastreamento de dados) para saber como você interage com nosso Portal. Usamos esta informação para melhorar sua experiência e para metrificar visitantes. Para entender mais sobre o que utilizamos, veja nossas Políticas de Privacidade de Dados: Política de Privacidade e Política de Cookies.
ACEITAR